SOMOS COOPERATIVISMO
ACESSO
Esqueci a senha

OCB/ES

NOTÍCIAS
Cooperativas mirins do Espírito Santo completam três anos de atuação
Data: 30/09/2021




O programa Cooperativa Mirim, que dissemina princípios e valores do cooperativismo entre alunos de cooperativas educacionais capixabas, completa três anos neste mês de outubro. A celebração marca o aniversário de fundação das três cooperativas mirins hoje em atividade no Espírito Santo. São elas a Cooperativa Mirim da Cooperativa Educacional de Linhares (Coopemcel), a Cooperativa Mirim dos alunos da Escola Cooperação (Cooperjetibá) e a Cooperativa Mirim da Cooperativa Educacional de São Gabriel da Palha (Coop-União).


A iniciativa é desenvolvida em parceria pelo Sistema OCB/ES, em parceria com o Instituto Sicoob e Sicoob Espírito Santo. Hoje, cerca de 150 alunos do ensino fundamental participam do programa como cooperados mirins. A supervisora de Responsabilidade Social do Sicoob ES, Sandra Martins de Oliveira, destaca os principais benefícios que a iniciativa já gerou para as crianças e adolescentes das cooperativas educacionais capixabas.

 

“Temos observado que os processos de aprendizagem têm oportunizado o empoderamento das crianças e jovens, a formação dos professores e o fortalecimento de uma educação comprometida com a cooperação. As crianças e jovens têm desenvolvimento de competências importantes, como coordenação, liderança, diálogo e interação em diversas atividades na comunidade”, explica a supervisora.

 

O futuro do coop

 

O superintendente do Sistema OCB/ES, Carlos André Santos de Oliveira, enxerga no programa uma forma de estimular jovens e adolescentes a construírem uma carreira no cooperativismo e manterem o movimento vivo. Ele também ressalta a vantagem social da iniciativa.

 

“Nos preocupamos em preparar as novas gerações para o cooperativismo, pois elas irão dar continuidade e revolucionar esse modelo de negócio. Além do compromisso com o futuro do cooperativismo, o programa Cooperativa Mirim promove uma educação cidadã, pautada por princípios éticos, humanos e inclusivos”, destaca.

 

Sandra Martins de Oliveira compartilha dessa visão. Na sua avaliação, o programa tem potencial para mobilizar o interesse das novas gerações pelo cooperativismo por meio de uma educação atrelada ao processo de ensino-aprendizagem dos alunos dentro e fora da escola.

“As cooperativas mirins promovem práticas cooperativas que potencializam a convivência democrática e a construção de novas formas de convivência, o que favorece o desenvolvimento de uma consciência colaborativa”, pondera.

 

Empreendedorismo e amadurecimento



Alunos da Coopemcel iniciaram a produção de essências para comercializar os frascos na comunidade.


A cooperação faz parte da vida da estudante Letícia Pignaton Leite em dose dupla. Além de ser aluna da Cooperativa Educacional de Linhares (CEL), hoje é ela a presidente da Coopemcel. Empreender, atuar em grupo e liderar são habilidades que a jovem está desenvolvendo na cooperativa mirim.

 

“A cooperativa é muito importante para nós, alunos, pois nela aprendemos sobre cooperativismo e empreendedorismo. Pelo fato de termos uma diretoria, também aprendemos a trabalhar em equipe e a liderar”, diz Leite.

 

E já que empreender é uma das finalidades das cooperativas mirins, os alunos colocam a mão na massa. Atualmente, o objeto de aprendizagem da Coopemcel é a produção de aromatizantes de ambiente. Os cooperados mirins conduzem a produção sob a orientação do professor orientador Vinicius Santi, que superou as expectativas do educador. “Fizemos uma projeção de 30 unidades, mas estamos trabalhando com 50”, pontua.

 

Além dos trabalhos práticos, Santi notou uma mudança comportamental positiva nos alunos que participam da Coopemcel. “Alguns começaram no sexto ano e hoje estão no nono com uma personalidade e visão totalmente diferentes. Houve um amadurecimento muito grande. O melhor presente desses nossos três anos atuação é obter esses resultados”, conclui.

 

Trajetória de sucesso e evolução

 


Produção de álcool em gel perfumado e colorido é o objeto de aprendizagem atual da Cooperjetibá.

 

Desde a sua fundação, em outubro de 2018, os jovens cooperados da Cooperjetibá já realizaram diversas ações. O projeto Biojetibá - que recolhe latas de alumínio e garrafas de plástico para doar a instituições sociais de Santa Maria de Jetibá - e a participação no Dia de Cooperar (Dia C) de 2021 - com o recolhimento de alimentos - são alguns exemplos. Hoje, o objeto de aprendizagem dos cooperados mirins é o álcool em gel perfumado e colorido, produção que já está em andamento. 

 

Para a presidente da Cooperjetibá, Júlia Velten Betzel, o histórico de ações e aprimoramento da cooperativa mirim é satisfatório e gera nos cooperados um sentimento de realização.

 

“Três anos são muita coisa e passam voando. Nesse período, conseguimos perceber a evolução não somente da Cooperjetibá, mas também de nós, cooperados, como um todo. Afinal, sempre buscamos alcançar nossos objetivos e sonhos. Temos um orgulho imenso da nossa cooperativa”, declara.

 

Uma das professoras orientadoras da Cooperjetibá é Lucienne Caetano Miertschink. Ela encara a trajetória da cooperativa mirim até agora com otimismo.

 

“A comemoração de três anos Cooperjetibá nos faz olhar para trás e mostra uma trajetória de sucesso realizada pela cooperativa e seus cooperados, através das ações na escola e na comunidade, marcando sua presença e fazendo a sua história”, diz.

 

Elisângela Lemke Hauch, que também é professora orientadora da Cooperjetibá, observa um progresso contínuo no aprendizado dos alunos que fazem parte da cooperativa mirim. Ela comemora o aniversário de três anos do programa.

 

“Os cooperados estão cada dia mais atuantes, interessados em conhecer cada vez mais sobre o cooperativismo e entender melhor o funcionamento da cooperativa. Fico muito feliz ao ver que a sementinha que foi plantada em 2018, por meio do programa Cooperativa Mirim, está crescendo dentro dos corações deles. Já podemos comemorar o sucesso desse projeto lindo”, comenta.

 

Espaço para novos aprendizados

 


Alunos aprendem a administrar negócios por meio da produção de objetos de aprendizagem.


“O programa Cooperativa Mirim tem uma grande importância na vida de todos os adolescentes que passam por ele. Particularmente, eu o enxergo como uma fonte de oportunidades, visto que a cada novo dia aprendemos um pouco mais sobre liderança, empreendedorismo, autonomia, independência e, acima de tudo, sobre como olhar para o mundo de uma forma mais solidária”, analisa a presidente da Coop-União, Ana Clara Cetto Rangel.

 

Os laços sociais com a comunidade, por meio da participação em causas sociais, é outro aspecto que caracteriza as cooperativas mirins. No Dia C deste ano, a Coop-União organizou a Campanha do Agasalho para arrecadar itens de vestuário destinados à doação.

 

Como objeto de aprendizagem, os alunos já produziram palha italiana, “chup-chup” gourmet e sabonete líquido. Hoje, 55 cooperados mirins fazem parte da Coop-União, lideradas por três diretorias diferentes desde a sua fundação.

 

A professora orientadora da Coop-União, Melina Maciel de Assis, expressa seu contentamento em fazer da cooperativa mirim.

 

“Atuar na Coop-União está sendo sensacional. Ela nos proporciona muitas ideias e aprendizados. Sinto orgulho da nossa cooperativa, pois ela tem muito a acrescentar na vida das crianças. É um projeto maravilhoso”, afirma.

 

Assis ainda agradece o apoio das instituições que idealizaram e apoiam o programa Cooperativa Mirim no Espírito Santo. “Nosso muito obrigado aos parceiros que não medem esforços para nos ajudar”, conclui.



FONTE: Sistema OCB - Síntia Ott